Diagnóstico De Morte Encefálica Exige Exame De Gasometria Arterial Niwa & Advogados Associados
1111
post-template-default,single,single-post,postid-1111,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-2.6,wpb-js-composer js-comp-ver-4.4.4,vc_responsive

Diagnóstico De Morte Encefálica Exige Exame De Gasometria Arterial

Através do Parecer n° 25/2018 e respondendo a uma consulta formulada que lhe foi formulada antes da Resolução CFM n° 2.173/2017, o Conselho Federal de Medicina consolidou o entendimento de que no diagnóstico de morte encefálica, é obrigatória a realização do exame de gasometria arterial antes e após o teste de apneia.

Para o Conselho, não se pode validar o teste de apneia sem a presença física do resultado da gasometria no prontuário, sendo que no termo de declaração de morte encefálica devem ser indicadas, necessariamente, as seguintes informações relacionadas ao teste: pressão arterial, temperatura corporal, PaCO2 inicial e final, PO2, horário da determinação, além da necessidade de observação de movimentos respiratórios com PaCO2 > 55 mmHg

A íntegra do parecer está disponível no link:

https://sistemas.cfm.org.br/normas/visualizar/pareceres/BR/2018/25